Histórico

A história da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) remonta há mais de um século. Seu início se deu em 1910, com a implantação da Escola de Aprendizes Artífices do Paraná, onde eram ministradas aulas de feitura de vestuário, fabricação de calçados e ensino elementar, inicialmente, às camadas menos favorecidas e aos menores marginalizados.

Em 1937, a escola passou a ministrar o ensino fundamental (chamado de 1o grau), o que condizia com a realidade da época, sendo assim denominada de Liceu Industrial de Curitiba. Já em 1942, o ensino industrial teve unificada sua organização em todo o território nacional. Instituía-se a rede federal de escolas de ensino industrial, denominadas escolas técnicas. Desse modo, o Liceu passou a chamar-se Escola Técnica de Curitiba. Em março de 1944, foi criado o primeiro curso de ensino médio (2o grau) na Instituição: o de Mecânica.

A partir da reforma do ensino industrial, em 1957, a legislação unificou o ensino técnico no Brasil, que até então era dividido em ramos diferentes. A Escola ganhou autonomia, bem como nova alteração no nome: Escola Técnica Federal do Paraná.

A partir de 1973, passou-se a ofertar os cursos de Engenharia de Operação na área da Construção Civil e Elétrica. A escola foi transformada, em 1978, no Centro Federal de Educação Tecnológica do Paraná (CEFET-PR), passando a ministrar cursos de graduação plena.

Em 1990, o Programa de Expansão e Melhoria do Ensino Técnico fez com que o CEFET-PR se expandisse para o interior do Paraná, onde implantou unidades de ensino descentralizadas (UNEDs). A partir daí, a área de abrangência do ensino evoluiu gradativamente: ensino médio (na época 2o. grau), superior, pós-graduação (especialização, mestrado e doutorado) e cursos de extensão e de aperfeiçoamento.

Além dos cursos, havia a constante realização de pesquisas na área industrial.

Devido aos significativos indicadores relativos às atividades de ensino, pesquisa e extensão, em 1998, deu-se início ao projeto de transformação da instituição em Universidade Tecnológica. Em 7 de outubro de 2005, foi sancionada a Lei Federal n o 11.184, que transformou o CEFET-PR em Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). Atualmente, a Universidade Tecnológica conta com treze campi, distribuídos nas cidades de Apucarana, Campo Mourão, Cornélio 52711 Procópio, Curitiba, Dois Vizinhos, Francisco Beltrão, Guarapuava, Londrina, Medianeira, Pato Branco, Ponta Grossa, Santa Helena e Toledo. São ministrados cursos desde o ensino técnico de nível médio até o doutorado, com forte concentração nos cursos de graduação (tradicionalmente tecnologias e engenharias, mas também com várias licenciaturas entre as quais a apresentada neste projeto). A tradição de ensino profissionalizante de qualidade e sua atuação regional fazem da UTFPR uma referência no cenário brasileiro, com destaque para suas atividades de ensino, pesquisa e extensão (o tripé universitário).

A UTFPR tem se consolidado no desenvolvimento de competências, habilidades e atitudes e na formação de cidadãos altamente qualificados, aptos a atuar de forma eficiente, eficaz, crítica e ética nos setores industrial, comercial, educacional, agropecuário, institucional e de serviços. Ao longo de sua existência, a Instituição construiu uma cultura peculiar que incorpora os valores desenvolvidos e praticados ao longo de mais de 100 anos de atividade.

Apesar de a UTFPR ser uma instituição notadamente reconhecida pelos cursos de Tecnologia, especialmente pelas Engenharias, houve a criação de um espaço para as Licenciaturas e os bacharelados na instituição. O Curso de Letras Português/Inglês começou a funcionar em julho de 2008. A intenção de propor um curso de licenciatura em Letras era uma antiga aspiração do Departamento Acadêmico de Comunicação e Expressão – DACEX – do Campus Curitiba (atualmente, Departamento Acadêmico de Linguagem e Comunicação – DALIC).

Desse departamento também faziam parte os professores do atual Departamento Acadêmico de Línguas Estrangeiras Modernas –DALEM – criado justamente a partir da constituição do Curso de Letras.

O DALEM, atualmente, conta com 29 professores, que atuam em várias frentes: no Curso de Letras, com as disciplinas referentes à língua inglesa e suas literaturas e com as que se dedicam mais especificamente à formação de professores de inglês (bem como de optativas do curso); na elaboração e aplicação de testes de proficiência em leitura em línguas estrangeiras para programas de Mestrado e Doutorado; no Centro de Línguas Estrangeiras Modernas (CALEM), no qual são ministradas aulas de alemão, espanhol, francês, inglês e português para estrangeiros tanto para a comunidade interna (alunos e servidores da UTFPR) como para a comunidade externa.

A partir da criação do DALEM, as atividades do departamento têm crescido, o que oportunizou um aumento do número de professores. Além disso, o contexto atual é distinto do contexto da criação do curso de Letras em 2008. Esses e outros fatores foram os motivadores a repensar um Curso que se mostrasse mais adequado às demandas atuais.

A internacionalização de nossa Universidade tem proporcionado a vinda de estudantes estrangeiros para estudar na UTFPR. Ao mesmo tempo, o programa Ciências sem Fronteiras tem levado inúmeros alunos de nossa instituição ao exterior. Além disso, o programa Idiomas sem Fronteiras (inicialmente Inglês Sem Fronteiras) tem auxiliado na formação em inglês de nossos acadêmicos, uma vez que eles podem atuar como professores de inglês no programa, e colocar em prática as aprendizagens do curso de Letras.

A vinda de estudantes estrangeiros à UTFPR tem mobilizado esforços do DALEM no que se refere ao oferecimento de aulas de português que atendam às demandas dos acadêmicos estrangeiros. O resultado desse empreendimento vai além de aulas de português para estrangeiros, pois também proporciona o aprimoramento da formação de nossos acadêmicos em Letras que têm a oportunidade de, juntamente com seus professores, desenvolverem pesquisas na área.

Além da oferta de cursos de português para alunos estrangeiros que vêm para a nossa universidade, o DALEM também tem oferecido cursos de PFOL a estrangeiros, em grande parte para a comunidade haitiana e imigrantes sírios. Orientados por professores do Departamento, vários alunos do Curso de Letras participam de projetos com esses alunos, realizando pesquisas, elaborando materiais, e apresentando trabalhos em congressos.

Nesse cenário, tanto o inglês para brasileiros como o português para estrangeiros revelam-se áreas em profícuo desenvolvimento e expansão. É por isso que propomos e apresentamos neste projeto um curso de licenciatura em inglês, mas que também oferece o português para falantes de outras línguas.