Histórico

PASSADO E PRESENTE

A história do que hoje se consolidou como Departamento Acadêmico de Línguas Estrangeiras Modernas (DALEM) começa em 1968 com a professora Tatiana Bergman Sabóia, que lecionava alemão e inglês aos estudantes da Escola Técnica Federal do Paraná. (ETFPR). Em 1974, foi implantado o Clube de Línguas e, em 1985, além de alemão e inglês, passou a ofertar também o ensino da língua francesa. Os cursos eram oferecidos em quatro semestres com carga horária de 60 horas semestrais, correspondentes ao A2 do Quadro Europeu Comum de Referência para Línguas. Até a década de 1990, o Clube de Línguas estava vinculado ao então Departamento Acadêmico de Comunicação e Expressão (DACEX), sob a chefia do Professor Luíz Carlos Serrone, o qual o organizou na forma de um Centro de Línguas.

A entrada do Brasil no Mercado Comum do Sul (MERCOSUL), em 1991, introduziu no país a discussão sobre o ensino de língua espanhola como língua estrangeira no ensino fundamental e médio. Essa ação também foi estimulada pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) de 1996, a qual instituiu o ensino obrigatório de língua espanhola no Ensino Médio. Como no CEFET-PR havia o ensino de 2º e 3º graus, houve o estímulo para a inclusão da língua espanhola no Centro de Línguas, em 1995, ampliando a oferta de idiomas.

Paralelamente, em 1998, oficializou-se o nome do Centro de Línguas para Centro Acadêmico de Línguas Estrangeiras Modernas, cuja sigla bastante conhecida até o presente momento é CALEM e instituíram-se as quatro línguas ofertadas: alemão, espanhol, francês e inglês, ofertadas em cinco semestres também à comunidade externa e o português para estrangeiros.

Uma das características do CALEM era acompanhar a metodologia dos institutos de idiomas renomados, como Cultura Inglesa, Instituto Goethe e a Aliança Francesa de forma que o estudante pudesse dar continuidade aos estudos fora da Instituição. Internamente, os idiomas funcionavam como disciplinas extensionistas, contando também como atividade complementar para os estudantes da Instituição.

Além do CALEM proporcionar ao estudante um embasamento inicial linguístico das principais línguas europeias, ele abria oportunidades para a realização de estágios em empresas internacionais instaladas na Cidade Industrial de Curitiba (CIC) e assegurava um dos requisitos para participação em convênios interinstitucionais, como aqueles realizados com escolas técnicas estrangeiras.

Outra particularidade do CALEM foi o atendimento à demanda externa, representada pela comunidade desejosa de aprender línguas estrangeiras e que não possuía condições financeiras para frequentar cursos pagos. Havia interesse e procura e a participação desse público era significativa. Outro grupo atendido era o dos servidores da Instituição e seus dependentes.

Ao final dos cinco semestres, os estudantes recebiam um certificado de conclusão que era entregue em uma cerimônia de Formatura organizada pelo CALEM no miniauditório da Instituição com a presença da Diretoria do campus Curitiba, dos professores, pais, amigos e colegas dos formandos.

Paralelamente a essas iniciativas, o CALEM ofertava Exame de Proficiência para os programas de Pós-Graduação da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) e cursos fechados de idiomas para alunos do Rotary Club, da Guarda Municipal, do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE).

Os docentes do CALEM dedicavam-se exclusivamente ao ensino de línguas em aulas presenciais, preparação e correção de avaliações. Mas, à medida que eles foram aprimorando sua formação, tornando-se especialistas, mestres e doutores, outras iniciativas surgiram, como a criação do Curso de Especialização em Línguas Estrangeiras Modernas, em 2004 e, em 2007, a formação da comissão para elaboração do projeto para criação do Curso de Letras (Português/Inglês), cuja primeira turma iniciou-se em 2008.

Em 2011, quando foi criado o Departamento Acadêmico de Línguas Estrangeiras Modernas, com o apoio da Diretoria do Campus Curitiba, o CALEM passou a ser uma célula do departamento, juntamente com o Curso de Letras, o Curso de Especialização e o atendimento ao Técnico Integrado. Mais uma língua foi incluída oficialmente: Português para Falantes de Outras Línguas (PFOL).

Dessa forma e inevitavelmente com as mudanças sociais do país e do mundo, os objetivos do CALEM foram ampliando-se. Hoje oferta-se para os estudantes um ensino sistematizado de línguas estrangeiras possibilitando ampliar o horizonte cultural dos estudantes e o contato com culturas de diferentes países. Os discentes podem, através da língua estrangeira, comunicar-se de forma efetiva com pessoas de outros países, concorrer a bolsas de estudo no exterior e enfrentar o mundo do trabalho nacional e internacional. A proposta de aulas dinâmicas para desenvolver a comunicação oral é uma das prioridades e, por isso, os métodos utilizados são sempre atualizados, facilitando o aprendizado.

Atualmente, o CALEM conta com aproximadamente 800 alunos, que cursam as cinco línguas: alemão, espanhol, francês, inglês e PFOL com 60 horas semestrais dadas em quatro horas semanais. Oferece vagas a estudantes, servidores e seus dependentes e à comunidade externa. As aulas são dadas em 5 períodos (semestrais), com 4 horas / aula semanais, perfazendo um total de 360 horas / aula no total.